sábado, 10 de novembro de 2012

[Clamp Day]Angelic Layer

  
  Angelic Layer é um mangá um tanto "polêmico", foi um dos primeiros mangás em tankoubon (aka inteiros) a sair no Brasil e muita gente na época achou o preço (R$9,80) caro demais, o mangá também desagradou por ser considerado "bobo" pela maioria das pessoas.

  Angelic Layer começa com a garota Misaki Suzuhara (Misakitty) chegando a Tóquio para morar com a sua tia Shouko, a menina que é órfã de pai, até então morava no interior com os avós e não tem contato com a sua mãe que trabalha em Tóquio mandava dinheiro para os avós de Misaki. Ao chegar a Tóquio Misaki fica fascinada ao ver uma batalha de Angels em um telão, logo ela conhece o estranho Itchan que a ajuda se tornar uma "Deusa", deuses são pessoas que manipulam os angels no esporte/brincadeira chamado de Angelic Layer. As regras do Angelic Layer são simples, duas pessoas comandando os bonecos customizáveis chamados de Angels travam uma batalha em uma Layer (uma espécie de arena) até que um dos Angels caia da Layer ou perca todos os seus pontos. Misaki fascinada pelos Angels se torna uma Deusa e vai disputar batalhas para se tornar uma campeã.

  A maior parte das críticas ao mangá vem de quem diz que Angelic Layer é "bobo". Em geral são pessoas acostumadas a ver o Clamp contando histórias de amor melosas ou histórias enroladas de gente salvando ao mundo, mas na verdade Angelic Layer é um mangá de "esporte", é a história de uma menina inocente que gosta muito de uma coisa (Angels)e por amor a essa coisa ela vai competir para se tornar uma campeã. Não tem tanto espaço para romance porque o mangá foi publicado em uma revista shounen, daí nós temos o clássico tema dos shounens: uma pessoa vencendo desafios, se superando, aprendendo até se tornar o melhor em alguma coisa (Misakitty se tornando campeã do Angelic Layer) disputando de forma justa contra os adversários.
  Poderia dizer que Angelic Layer é um mangá moe, o importante é ser fofo, tudo é muito lindinho, todo mundo é fleiz e não há muitos problemas no mundo além de vencer a próxima partida de Angelic Layer. Eu gosto de Angelic Layer por causa disso, não é nada demais, não é nada denso, é só uma coisa pra ler, se distrair e relaxar. É bacana por ser algo banal, não é preciso ser um mangá com gente salvando o mundo ou dramas impossíveis, é só um mangá bonitinho sobre uma garota que gosta muito de uma coisa e tem seus méritos por isso.
  O mangá dura exatamente o quanto deveria durar, não se torna cansativo por ser enrolado, também não é curto demais pra ser demasiadamente superficial. Se fosse reclamar de alguma coisa é de que o mangá é rápido demais de ler, eu peguei pra reler por volta de 13:00 e antes das 16:00 eu já tinha terminado de ler os cinco volumes da série. Como o mangá já está bem velhinho o primeiro volume quebrou na minha mão enquanto eu estava lendo e vou precisar consertar ele com cola branca. É um mangá que vou guardar na minha coleção e não me arrependo de ter comprado (aka Rayearth que destruiu minhas lembranças de infância). Na minha opinião a pior parte do mangá é que todas as capas são tão similares que só dá pra diferenciar pelo número na capa.




Título: Angelic Layer
Autor: Clamp
Duração:  5 volumes, completo
Preço: R$9,80
Editora: Kadokawa (Japão), JBC (Brasil)
Demográfico: Shounen
Gênero: Batalha, Moe, Esporte


6 comentários:

Kushina disse...

Eu adorei Angelic Layer! Mas preferi o final do Anime!!
Eh sim um manga mais para o publico infantil, mas nao deixa de ser bom!!

Carlírio Neto disse...

Saudações


Angelic Layer é uma obra das mais dignas do CLAMP. Direto na mensagem, no ponto que quer atingir e, o principal, cativa de forma primorosa...

Li os cinco volumes deste mangá com tranquilidade, sem maiores "atropelos" e, sinceramente, seria interessante que mais pessoas o lessem e desfrutassem desta ótima obra que é Angelic Layer.

Muito bom o seu post, Kuroi.


Até mais!

Wildcat17 disse...

Embora eu seja de Portugal, comprei os 5 volumes por 5€ cada num evento, no ano passado. A qualidade era muito má, tive que pegar numa tesoura e cortar montes de páginas que vinham pegadas aos pares.
Quando soube do relançamento em omnibus nos EUA, arrependi-me muito por os ter comprado!
Este ano fui ao mesmo evento e encontrei-os a 2€ cada. Isso ainda me fez arrepender mais!
Conclusão: gostei muito do mangá. Não é um favorito, mas entreteu-me muito e gostei de acompanhar. O tamanho está excelente. Odeio que as capas sejam tão semelhantes, não conseguiria distinguir os volumes sem os números. Recomendo vivamente a leitura, mas não por esta edição! Espero conseguir vendê-los (o que vai ser difícil, já que estamos a falar de Portugal) para comprar e edição americana.

Joyce Carmo disse...

Apesar de muita gente conhecer o Clamp pelas "características" repetidas dos traços dos personagens (que é realmente uma assinatura da equipe) acho o character design de Angelic Layer muito legal, principalmente no que diz respeito as angels. Só assisti ao anime, e como foi numa época que eu procurava animes mais "cabeça" realmente tive essa decepção da qual você falou, de achar um anime "bobo". Mas de fato é bem legal, um pouco no estilo make you feel good.

Agora, Rayearth foi uma decepção pra mim depois de adulta, tanto o mangá quanto o anime. Tem coisas que as vezes é melhor deixar morrer na infância mesmo. Hehehe.

Gostei do seu review :D

Lika Chan disse...

"vou precisar consertar ele com cola branca" Ultima vez que fiz isso me arrependi amargamente T_T
Mas bem, os meus vieram com paginas rasgadas D: logo no 1º volume, foi mtu triste... Mas eu gostei da historia, de como é tratada a amizade, e esse futuro tecnologico não tao distante...

Rayearth eu até li o mangá em 2008 acho, mas não me lembro de mta coisa...

Eilton Ribeiro disse...

Eu estava justamente procurando uma resenha de angelic layer no google e caí aqui. A razão da minha procura é que comecei a ver o anime, e com dois episódios estou meio interessado, mas... Siiim, é bobo. No primeiro episódio já constatei que era meio infantil, tipo uma repetição de Sakura Card Captors, mas vindo do CLAMP eu estava esperando que ocorresse alguma virada de roteiro, alguma trama bem trabalhada se desenvolvendo (algo com a mãe dela, por exemplo), mas estava certo de que talvez isso não fosse acontecer. Por isso procurei uma resenha, pra constatar. E agora não sei se continuo acompanhando :/ Tá certo que é relaxante e serve pra distrair, mas estou com muuuito POUCO TEMPO pra perder vendo animes D: Se for pra me viciar em algo, acho prefiro outro tipo de anime, mais complexo, talvez. Obrigado por esclarecer minhas dúvidas.