sábado, 18 de junho de 2011

[Resenha] 07-Ghost


  07-Ghost é uma criação de Yukino Ichihara e Yuki Amemiya, as duas começaram como mangakás formando um círculo de produção de doujinshis shounen-ai/yaoi de Naruto (são mais de 20 doujinshis!! 0_0U) e eventualmente acabaram publicando seu próprio mangá. 07-Ghost é o mangá de estreia da dupla e no momento conta com 11 volumes e um volume extra chamado 07-Ghost Children com histórias curtas. As duas autoras são responsáveis pelos desenhos e história. O mangá é publicado na revista Comic Zero Sum (que é a casa de Loveless e di[e]ce) da Ichijinsha que é uma antologia josei. O mangá fez sucesso imediato entre os leitores da revista e logo ganhou DramaCD, em abril de 2009 a série foi adaptada em anime.


  O mangá conta a história do jovem Teito Klein, ele é um orfão desmemoriado. Teito era um escravo, mas como possui habilidade com Zaiphon foi levado para a Academia Militar de Barsburg para aprender a usar suas habilidades e futuramente se tornar um Begleiter. Na véspera de sua formatura Teito faz uma promessa de amizade com o colega Mikagi, seu único amigo na academia, já que todos os outros estudantes o desprezam por ser um ex-escravo. No dia do teste final ambos caem no mesmo grupo e têm que usar suas habilidades de Zaiphon para eliminar um criminoso de alta periculosidade, claro que Teito se recusa a matar alguém sem ter um motivo real. Então o general Ayanami aparece, mata o criminoso e chama Teito de covarde, ele fica chocado com essa pessoa que ele parece conhecer de algum lugar. Algum tempo depois quando Teito se encontra novamente com Ayanami suas memórias começam a voltar e ele lembra que quando ele era criança foi Ayanami quem matou seu pai que era o rei do reino de Raggs e o ataca, mas é rapidamente contido e preso em uma cela dentro da academia.
  Com a ajuda de Mikagi Teito consegue fugir da cela e usa um Hawkzilla (espécie de motocicleta aérea) para escapar do lugar, Ayanami percebendo usa seu Zaiphon para destruir o Hawkzilla em que Teito voava, com isso ele despenca de uma grande altura (os continentes são suspensos nas nuvens por Zaiphon nesse planeta) e acaba caindo em cima de Frau, um dos bispos do Sétimo Distrito de Barsburg. Por sorte o Sétimo Distrito está fora do alcance do poder dos militares e eles não podem fazer nada para ameaçar Teito enquanto ele se encontra ali.
  Dentro do Mosteiro Teito começa a descobrir sobre o passado, havia dois reinos, um chamado Barsburg e outro chamado Raggs, há mil anos atrás "deus" presenteou os dois reinos, Barsburg com "O Olho de Raphael" e Raggs com "O Olho de Mikhael", duas grandes fontes de poder, mas dez anos atrás Raggs atacou Barsburg atrás do "Olho de Raphael", com isso houve uma guerra e Raggs foi destruído e "O Olho de Mikhael" foi perdido durante a guerra.
  Nem preciso dizer quem não sabe que esconde "O Olho de Mikhael" e é o príncipe herdeiro do reino de Raggs nem que o Mosteiro esconde grandes segredos dentro dele e há um grande mal à espreita.


  A arte do mangá é bem diferente do que se costuma ver nas bancas atualmente. O traço é bem puxado pro yaoi (vide o background das autoras) e me lembrou muito mesmo do traço do Clamp nos anos 90 (fica entre Guerreiras Mágicas de Rayearth e X). O único problema na arte a meu ver foram as lutas, é quase impossível saber o que se passa nas lutas, é tudo muito ágil e cheio de "ventinhos mágicos". Só fui entender o que se passa durante as lutas vendo o anime (mais que recomendado também).
  A história é cheia de clichês, mas mesmo assim os clichês são bem trabalhados pelas autoras e com isso a história apesar de ser bem comum e você ter noção de como as coisas vão se desenvolver consegue ser bem divertida e cativante, como eu digo, o problema não é ter clichê, o problema é não saber usar o clichê a favor da história.

  A adaptação da Panini ficou bacana, para aqueles que dizem que a Panini é preciosista e deixa tudo "ajaponesado demais" aviso que não há honoríficos japoneses nesse mangá. Nas notas de tradução há a explicação: Não foram mantidos os termos e honoríficos japoneses por se tratar de uma história cujo cenário não é o Japão. Já estou prevendo as lágrimas negras da comunidade otaku brasileira. Na minha opinião isso é o correto a se fazer e a Panini ganhou um ponto comigo, teria ganhado mais pontos não fosse o "Teito-kun" no segundo quadro da página 158. Pelo menos dessa vez não tem nenhum erro de ortografia na capa (xD).
  Para aqueles que odeiam simplesmente escutar a palavra yaoi passem longe do mangá, não há nenhum fanservice real no mangá, mas o clima da história é bem "suspeito", a amizade entre Teito e Mikagi é bem parecida com FuumaxKamui, talvez seja este o motivo para o mangá me lembrar de X e outros trabalhos do Clamp (além do traço).
  Falando em Mikagi no original o nome dele era Mikage (lê-se como "me cague", é a mesma pronuncia), daí optaram por trocar o e por i e ficar Mikagi. Se não me engano há uma lei contra esses nomes estrangeiros com duplo sentido e eles têm que ser trocados, peço que se alguém souber melhor sobre isso para explicar nos comentários.
  A Panini optou por usar a mesma capa que a japonesa, os dois lados possuem ilustrações diferentes e as imagens das orelhas estão no verso das capas. Não há páginas coloridas e não havia na versão japonesa do tankoubon, as páginas que eram coloridas na antologia estão em preto e branco, mas não estão "borradas" como muitas vezes acontece, deu pra perceber que houve cuidado ao adaptar as imagens que eram coloridas para o preto e branco. Acredito que todo mundo detesta ver essas color pages borradas em preto e branco como é típico em alguns shoujos e nos mangás da shounen jump (eles são mestres nisso).


  Eu recomendo o mangá para todos aqueles que gostam de um mangá de aventura e não se importam com um clima "Clampesco", como eu já disse o fanservice "shounen-ai" (dizer fanservice yaoi seria forçar demais)só existe se você quiser enxergar aquilo, ou se você é daqueles que dá pití vendo dois garotos tendo uma amizade forte. Apesar de ser um mangá josei eu vejo quase nada de josei nele, o clima é bem shounen, cheio de batalhas e mistérios a serem desvendados (não muito diferente de um Reborn! da vida). Dessa nova leva de títulos foi o que eu mais gostei até agora.


Título: 07-Ghost
Autoria: Yuki Amemiya e Yukino Ichihara
Formato: 13 x 18, 208 páginas
Duração:  11 volumes (em andamento)
Periodicidade: Bimestral
Preço: R$9,90
Demográfico: Josei
Gênero: Aventura, Fantasia, Luta

9 comentários:

lhk disse...

Belo review Kuroi xD 07 ghost tem realmente um ar cativante misterioso quase como um título da clamp; e apesar de certas tendências yaoi acho que vou acompanhar /o

Kuroi disse...

Valeu, lhk, eu certamente vou colecionar 07-Ghost.

Vambruxo disse...

Bem achei um manga/anime sensacional, mas deixou uma reação em mim... como houve em relaçao ah Claire/Teresa "claymore", Rocco/Lelouch "code Geass"... fazer oq neh hauahauha

Anna disse...

Eu to louca pra ler o segundo volume, tomare que não atrase muito!
Ahhh, bem que eu estranhei um pouco quando li Mikagi, mas não lembrava se se escrevia com 'i' mesmo ou se tinham mudado! Não vejo muita lógica nessa troca já que a pronúncia continua a mesma... õ.õ
No geral eu gostei do trabalho da Panini.

Kuroi disse...

Anna, na verdade faz muita diferença sim. A pronúncia correta de Mikage é "Mi Caguê" (me caguei, praticamente)com bastante ênfase no e. Eu acho muito engraçado, mas é um duplo sentido muito feio.

lillian disse...

UAHUAH. Eu gosto dos honoríficos. T_T

Ai ai... Eu gostei muito, (já tinha lido 1 cap a uns anos traz, mas não fazia muito ideia do que que realmente se tratava) foi o único que comprei desses novos mangás anunciados pela Panini, embora a mesma tenha trago vários outros títulos bem interessantes e famosos ^-^

Comecei a colecionar mangá a pouco tempo(2010) mas olha... é quase uma tortura pra mim. Esperar meses pra os próximos volumes e depois quando chega atrasa pra ir pras bancas. uahauhauha

Abraços o/

cintia tm disse...

nossa, a panini realmente me surpreendeu trazendo este excelente título, já estava mais que na hora de inovar e trazer mangás com estilo meio clamp de ser...07-ghost sem dúvidas é um dos meus mangas favoritos...hehe
ainda não perco esperanças de ver por aqui pela panini títulos yaoi/shounen ai

Sofia disse...

Achei demais que a Panini publicou 07-Ghost! Eu adorei assistir o anime, e agora tenho a chance de ler o mangá também. Para ser sincera, mesmo tendo visto todo o anime, eu nunca havia percebido esse duplo sentido no nome do Mikage. Só notei quando eles mudaram para Mikagi e fiquei me perguntando porque eles fizeram isso. Hehe.

Chibi disse...

seven gost coisa linda <3
claro que vou colecionar :D